18 julho 2014

Descobrindo Los Angeles - Parte 4: Santa Mônica, Bossa Nova e Amoeba Music

No último post com nossas aventuras em L.A., falamos do show do Bon Jovi que assistimos no Staples Center. Na parte três da série Descobrindo Los Angeles, contamos sobre nossa visita a Beverly Hills. Agora você acompanha mais um dia na ensolarada Califórnia. Dessa vez, encontramos de fato o sol, indo para a praia de Santa Mônica!

Ainda jantamos no restaurante brasileiro Bossa Nova e visitamos a mais famosa loja de discos do mundo: Amoeba Music. A parte triste é que tivemos de abrir mão da visita a Venice Beach e você vai descobrir porquê.




Nosso dia começou quando, já de manhã, fomos direto à Party City, sobre a qual também já falamos e para onde nos dirigimos para comprar fantasias de Halloween. Em seguida, voltamos para o hotel Days Inn e deixamos as compras. Como já estávamos com fome aproveitamos para conhecer a famosa rede de lanchonetes In-N-Out Burger, localizada na esquina de onde nos hospedamos.


É um ícone de Los Angeles e de outras cidades do sul da Califórnia. Fundada em 1948, a In-N-Out Burger é citada em vários filmes e uma das poucas redes de fast food que até chefs famosos recomendam. Por isso, as unidades estão sempre cheias.



O atendimento é como de qualquer lanchonente, em que você faz seu pedido no caixa, paga e então recebe uma senha. Você vê os sanduíches sendo feitos, a aparência é ótima e são saborosos. Além das opções disponíveis nos letreiros, há um "cardápio secreto", que não é tão secreto assim, pois está no site da rede. Mas existe essa lenda de ser secreto, e por meio do qual você pode personalizar seus sanduíches com maior número de carnes e queijos e acrescentar outros ingredientes.


Tem até a história de que frequentadores faziam pedidos absurdos, como 20 carnes e 20 fatias de queijo, e então as opções do cardápio secreto ficaram mais restritas.

No entanto, mesmo se você pedir o que está sendo oferecido nas lanchonetes já vai ficar bem satisfeito, como, por exemplo, o "double double cheeseburger".

Devidamente alimentados, fomos andando até a Hollywood Boulevard para visitar o museu de cera Madame Tussauds, cujos detalhes você já conheceu neste post.

O dia já estava bem cheio com essas atividades. Mas o melhor ainda estava por vir. Assim como no nosso primeiro dia em Los Angeles, embarcamos mais uma vez no ônibus turístico da Starline Tours só que dessa vez com destino à praia de Santa Mônica!

A caminho da praia

Para este percurso, a linha que faz o transporte é a amarela. Durante o passeio, que leva cerca de uma hora, fomos apreciando a jornada, passando por vários locais famosos, como o hotel Beverly Hilton, onde a cerimônia de entrega do Globo de Ouro é realizada. Outro acontecimento marcante do local foi a morte da atriz e cantora pop Whitney Houston, por overdose de drogas e álcool, em um de seus quartos.

Outro ponto importante de Beverly Hills pelo qual passamos foi o Saban Theatre, que serve de teatro e casa de shows, além de espaço para filmagens, como um episódio do seriado "Glee". Quando passamos por ele, estava anunciado em seu letreiro shows do ex-vocalista do The Animals, Eric Burdon, e do pianista e cantor Leon Russel.

Também neste trajeto, apreciamos o estiloso hotel Hyatt Century Park e passamos pelo Annenberg Space for Photography, centro cultural dedicado à fotografia. Também fica no caminho para Santa Mônica o shopping Westside Pavillion, que foi cenário para o videoclipe da música "Free Fallin´", de Tom Petty & The Heartbreakers.

Santa Mônica

Ao chegarmos à Ocean Avenue de Santa Mônica e desembarcarmos do ponto da Starline Tours, já estávamos em frente ao Palisades Park!


Uma versão mais chique do Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro, esta belíssima área tem espaço para caminhadas, piquenique, descanso e contemplação do mar.

Uma de suas pontas termina justamente no píer de Santa Mônica, área mais significativa da praia. Logo na rampa de descida ao píer, o clima descontraído e de divertimento já é grande.

Inaugurado em 1909, o espaço está na mente de qualquer pessoa que pensa em Califórnia. Há uma histórica atração, de 1922, o carrossel Looff Hippodrome Carousel, que fica dentro de um prédio. Outras fontes de diversão incluem uma escola de trapézio, espaço para fliperamas, pub e restaurantes, como o famoso Bubba Gump Shrimp Company, retratado no filme "Forrest Gump".


Você sabia que o seriado de TV dos anos 90 "S.O.S. Malibu" (Baywatch), estrelando a modelo Pamela Anderson, embora tenha este nome na versão em português na verdade foi filmado em Santa Mônica?

No momento da descida da entrada no píer, em que vemos a praia em sua extensão, é impossível não se lembrar da abertura de "Baywatch" com "I´m always here", a música cantada por Jimi Jamison, vocalista da banda Survivor, famosa pelo hit "Eye of the Tiger".


Fomos logo entrando no píer, maravilhados com a vista do oceano Pacífico. Nossa filha estava sentada no carrinho, condição que consideramos fundamental para viagens com crianças. Mesmo assim, como havia cismado de passear com botas, então o pé logo começou a ficar quente e cansado. Por isso, a primeira iniciativa que fizemos foi comprar, em uma das lojinhas do pier, um chinelinho lindo, mas de qualidade duvidosa. Durou bem pouco, só poucos dias após voltarmos ao Brasil.


De qualquer modo o visual rendeu essa ótima foto. Mais perua impossível!



Não poderia faltar também foto com a máquina do Zoltar. A referência é do filme dos anos 80 "Quero ser grande" ("Big"), com Tom Hanks, em que o desejo feito à máquina com o cigano que lê sua sorte transforma um garoto de 13 anos instantaneamente em adulto.

 


Outra coisa muito interessante do píer é o final da mítica Rota 66, estabelecida em 11 de novembro de 1926 e que, em um total de 3.755 km, iniciava em Chicago e terminava em Santa Mônica, na Califórnia, totalizando 3 755 km.

Na prática, a estrada foi desmembrada e não existe mais. Mas fica a sua importância cultural, histórica e turística. Como bem explica o jornalista Daniel de Oliveira Neto na revista Viagem e Moto, "surgiu a idéia de convencer as pessoas a relembrarem do sentimento de liberdade idealizado pelos jovens americanos das décadas de 50 e 60, que em seus Cadillacs e motos Harley Davidson, aventuravam-se pelas estradas em busca das praias do Pacífico, deixando de lado os costumes conservadores da costa leste dos Estados Unidos, à procura da ensolarada e liberal Califórnia".

Sentimento de liberdade este muito bem expresso no filme "Easy Rider" ("Sem Destino") e no estilo de vida do ator James Dean, morto em um acidente de carro quando ia de Los Angeles para a cidade de Salinas. O cenário da Rota 66 também já foi fielmente mostrado na animação da Disney "Carros", ambientado na fictícia de Radiator Springs, que o Disney California Adventure reproduziu com uma área inteiramente dedicada ao filme.



 


Um parque de diversões em pleno píer

Já imbuídos do espírito histórico do píer de Santa Mônica, podíamos agora curtir o parque de diversões Pacific Park!


Exibido em vários filmes, seriados e clipes musicais, o parque tem uma série de atrações, como roda-gigante, montanha-russa, vagão que cai e carrinho bate-bate. Conta também com várias barraquinhas de jogos, com direito a brindes.

O preço de cada atração varia entre US$ 4 e  US$ 6. Há a opção também de comprar um passe com uso ilimitado que custa R$ 16,95 para menores de sete anos e R$ 24,95 para maiores de oito anos.


Não quisemos ir na montanha-russa com medo da pequena se impressionar e não querer ir em nada dos “verdadeiros” parques da Universal e Disney nos dias seguintes. Por isso, optamos pela roda-gigante Pacific Wheel, que tem uma vista ESPETACULAR da praia de Santa Mônica, já que o carrinho parece rodar bem em cima do mar.



 




Eu, que não sou muito fã de roda-gigante, estava contido mas apreciei bastante a vista!


Quando acabou este passeio, resolvemos explorar as barraquinhas de jogos típicas de parques da Califórnia.


Fomos em duas barraquinhas. Na primeira, a brincadeira era o Balloon Bust, que consistia em jogar saquinho de areia nas bexigas para ganhar um bichinho. Nossa filha ganhou um pinguin colorido!






A segunda brincadeira era de bater com um martelo nas toupeiras que ficavam saindo e entrando de um buraco, chamada de Wac-A-Mole.


Foi engraçado porque, na hora de disputar quem "batia mais nas toupeiras", não havia ninguém para brincar com nossa filha e então o pai e a mãe entraram na "competição". Ou seja, estava garantido que levaríamos o brinde, de uma maneira ou de outra!


E a filhota ficou toda feliz quando o pai "ganhou" e lhe passou o prêmio: um lindo e grande urso rosa, que aqui posa todo pimpão junto ao Mickey e à Minnie.



O incrível visual do píer

Encerrada nossa participação no Pacific Park voltamos a explorar o píer para ver a vista e tirar muitas fotos!


 



Nesse ponto, a criança começou a “perder a validade”. Cansada da maratona daquele dia, só queria ficar no carrinho e não queria mais tirar fotos. Já era prenúncio do que viria.

Venice Beach: só de longe...

Saímos então do píer com intenção de pegar a linha verde da Starline Tours, com ponto em frente ao Palisades Park, partindo do píer e tendo como destino final Marina Del Rey,  passando por Venice Beach.

Chegamos a pensar em ir andando mesmo, mas aí descobrimos que seriam uns 40 minutos. Passeando pela orla seria bem agradável, mas ficaria demorado e cansativo. Nada do ônibus da linha verde da Starline Tours chegar e a criança começou a reclamar, reclamar... Resolvemos pegar um táxi para ir a Venice Beach.

E aí, sentando no banco, foi questão de segundos até a pequena se acomodar e dormir...

Surgiu então o dilema. Irmos mesmo assim, tirando a pequena do conforto do táxi e colocando-a dormindo no carrinho para então passearmos e apreciarmos o calçadão de Venice Beach, pelo menos só nós dois?

O pai sugeriu e a mãe concordou, um pouco decepcionada, que apenas passaríamos de carro por Venice Beach e fôssemos direto no mesmo táxi para o hotel em Hollywood. Só que não dá para passar de carro próximo ao calçadão. O máximo que se consegue é circular pela rua interna à praia, chamada Speedway, de onde não se vê praticamente nada.

Mas, tudo bem, pelo conforto da pequena, abrimos mão de conhecer, dessa vez, Venice Beach. Com essa decisão, acabamos não conhecendo também o famoso por do sol, nem a pista de skate, nem a fauna do local e nem a academia onde Arnold Schwarzenegger treinava quando chegou da Áustria. :P

Conformados, seguimos no taxi rumo à Sunset Boulevard, o que custou em torno de US$ 55. A pequena descansou no caminho de cerca de 30 minutos de viagem e foi um dinheiro bem investido.

Jantar no restaurante Bossa Nova

Tivemos a ideia então de proporcionar-lhe um pouco de comida “de verdade”, como ela fala quando se refere à alimentação nos Estados Unidos. Fomos comer no restaurante Bossa Nova, o que não fizemos em nosso primeiro dia em Hollywood, quando íamos pedir para entregar a comida no hotel e desistimos.

Dessa vez, olhando o cardápio com calma, encontramos boas opções de comida "brasileira", além de termos contado com a ajuda do garçom.

De entrada, ele sugeriu logo que pedíssimos “pão de queso”, em seu portunhol. Veio a porção com seis pães, que custa US$ 4. Há também a opção com 12 unidades, por US$ 6,50.


Os pratos principais que escolhemos serviram para matar saudades da "comidinha lá de casa".

Eu fui de escalopinho de filé mignon com molho de cogumelos, servido com purê de batata e legumes diversos. O preço é de US$ 13.


Já a Isabel pediu picanha com arroz, feijão e farofa, molho à campanha e batatas fritas! Mais brasileiro impossível... Tudo por US$ 18.

Para a pequena, o garçom sugeriu que montássemos um prato simples, com preços separados, contendo bife, arroz e feijão, que foi muito apreciado! De quebra, ela pegava umas batatinhas da mãe.

 

Depois de agraciados com comida brasileira, voltamos satifeitos a pé para o hotel, a dois quarteirões dali.

Mas o dia ainda não tinha terminado!

Revigoradas, mãe e filha foram para a loja de departamentos Ross Dress For Less fazer compras! Entre outras itens, Isabel comprou um ótimo casaco por 19 dólares!

Amoeba Music: a mais famosa loja de discos do mundo


Enquanto isso, eu realizava um sonho: conhecer a mais famosa loja especializada em música em todo o mundo: a sobrevivente Amoeba Music!

Já que não alugamos carro, e como não queria pegar transporte público, fui a pé por seis quarteirões. Embora seja uma "boa caminhada", o caminho é uma reta só, pois a loja fica na mesma avenida do hotel, a Sunset Boulevard, no número 7023.

Não é muito recomendável ir a pé, já que passa-se por trechos pouco iluminados e desertos, mas engrenei a terceira marcha e fui!

Ao me aproximar, a emoção foi tomando conta.



A Amoeba não é apenas uma loja, é um acontecimento!


Você encontra todos os tipos de gênero de música e filmes, de DVD, VHS, Fitas K7, Lps, camisetas, souvenirs... Há até um palco para pequenos shows.


Quem recebe a newsletter deles, cujo cadastro você faz no site, fica sabendo de vários eventos interessantes, como tardes de autógrafos, shows no pequeno palco da loja e saldões realizados do lado de fora, em diversas barracas montadas especialmente para isso.

No site é possível baixar cupons de desconto, que estão disponíveis também na entrada dos hotéis de Los Angeles. Há outras filiais na Califórnia, nas cidades de Berkeley e São Francisco. Com justiça, a Amoeba gaba-se de ser "a maior loja independente de discos do mundo".

Veja como estão distribuídos os espaços dentro da loja, que possui um andar térreo e um mezanino.


Ocupando quase um quarteirão inteiro, tem grande acervo de usados e novos e os vendedores são altamente entendidos do assunto e descolados, o que faz da Amoeba um point para quem gosta de música.

Já que estava em Hollywood,  optei por comprar, entre outros itens, CDs clássicos de bandas locais como Poison e Warrant, que adoro. Depois de percorrer todas as sessões, e até comprar uma caneca de lembrança, era hora de ir embora.


Voltei feliz da vida pelo caminho de volta para o hotel e... finalmente o dia chegou ao fim.


Foi mais uma intensa e emocionante etapa da viagem, porém ainda tínhamos um dia em Los Angeles antes de ir para Anaheim.

A continuação desta aventura você verá em breve, no próximo post!


* Gostaríamos de agradecer ao blog Um Homem Precisa Viajar pela cessão da foto da placa do fim da Rota 66 no píer de Santa Mônica,

5 comentários:

  1. Ah que delícia de viagem! Queria muito conhecer Los Angeles, mas vou ter que esperar um pouquinho rs. Parabéns pela família linda! :)

    ResponderExcluir
  2. Mayara, que legal ver você aqui! Você sabe que este blog tem muito da sua inspiração e bom trabalho com o Glam Groupies, né? Vou ficar esperando sua ida para lá! Tenho certeza que vai curtir muito. Obrigado por tudo!

    ResponderExcluir
  3. Olá de novo, foram quantos dias de viagem mesmo? Obg.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Fabiano! Foram nove dias de viagem. Abraços.

      Excluir

Whatsapp Button works on Mobile Device only

Digite o que procura no blog e tecle enter