sexta-feira, 17 de março de 2017

"A Bela e a Fera", simplesmente encantador

Este post foi escrito por Grasiela Camargo, sócia-proprietária do Clubinho de Ofertas e especialista em programas infantis. Grasiela esteve na sessão exclusiva do filme para jornalistas e conta para nós o que achou! 




Por Grasiela Camargo

Disney é sempre Disney, mas o filme A Bela e a Fera consegue nos transportar de forma ainda mais profunda para um universo mágico e surpreendente. Todo o encanto da história e do desenho animado se multiplica e torna-se ainda mais fantástico no novo filme.

A produção se espelha bastante no desenho animado de tanto sucesso, pelo qual me apaixonei quando adolescente. As cenas são muito semelhantes, mas o incrível é observar como eles conseguem sincronizar tantos atores, bailarinos e figurantes em uma mesma cena sem cortes, como a encantadora vila onde mora Bela. A sincronia das ações é perfeita e parece supernatural, cotidiana.


A parte musical é ganho à parte. Surpreendente assistir atores que não têm tradição em musicais cantarem tão bem em cena. Destaque para o personagem de Le Fou, fiel escudeiro do arrogante Gaston, que arrasa no deboche e num senso crítico não tão subjugado.

Agora, o Castelo da Fera é realmente o que mais chama a atenção. Os detalhes da arquitetura, decoração, cores e sombras são suntuosos e impecáveis. A magia realmente mora naquele castelo. Percebe-se isso desde o início quando é contada a história do príncipe que vira a fera.


Os personagens animados do Castelo merecem um aplauso à parte, caracterização perfeita e luxuosa do preocupado mordomo Cogsworth, o relógio, do animado Lumière, da charmosa Fifi, a aconchegante Madame Samovar e o cativante Zip. Destaque para o casal de músicos do castelo, a solista (que virou guarda-roupas) e o maestro (o piano).


E os figurinos são também de arrasar, dá vontade de se jogar dentro do filme e usar aqueles modelitos franceses lindos e inspiradores.

Agora a cena mais vibrante é o primeiro jantar de Bela dentro do castelo. É um show fantástico que mistura elementos de várias culturas, mas sem perder em nenhum momento o charme francês que envolve toda a trama. Um verdadeiro chá-chá-chá magico e surreal, nos remetendo realmente para o universo místico da Belle Epoque.



Fantasias à parte, o filme também traz momentos emocionantes e dramáticos. Fica claro como a realidade e as experiências modelam e constroem as atitudes dos personagens e como a educação e o amor dos pais faz diferença no desenvolvimento das crianças.

Tanto o príncipe quanto Bela perderam a mãe quando crianças – Bela ainda era um bebê – mas é chocante a diferença de personalidades que é formada pela influência dos pais na educação destas crianças. Ponto para os pais pensarem após assistirem o filme.

Mais que tudo, a Bela e a Fera é realmente um filme que nos encanta, faz sorrir e emociona do início ao fim. E nos traz mensagens e valores que precisamos deixar aos nossos filhos: não julgar pelas aparências, procurar ter empatia e entender o próximo, ter coragem de pensar diferente de todos e que o verdadeiro amor é aquele que não se vê com os olhos, mas com o coração.

Grasiela Camargo é sócia-proprietária do Clubinho de Ofertas, jornalista formada pela UFRJ e pós-graduada em Comunicação Integrada pela ESPM.

Nenhum comentário:

Postar um comentário