terça-feira, 27 de setembro de 2016

“Meu Amigo, o Dragão” é mais que uma refilmagem

Nossa colaboradora Heloisa Viana foi à sessão exclusiva de "Meu amigo, o dragão" para  jornalistas e conta para a gente o que achou da nova produção da Disney, que estreia dia 29/9.

---------------------

Por Heloisa Viana.

Pete é um menino valente! É o menino mais valente de todos!

Aos cinco anos de idade, após perder-se na floresta e ficar órfão, o menino é descoberto e criado durante seis anos por Elliot. Mas Elliot não é um ser humano, muito menos um animal. É um dragão incrivelmente fabuloso.



Ao me sentar na cadeira, já pude perceber que a refilmagem de “Pete’s Dragon” (1977), não era apenas mais um remake mal ajambrado daqueles que tapam buraco mediante tantos roteiros medíocres.

Com um elenco bom e afinado, com nomes como Robert Redford, Bryce Dallas Howard, Wes Bentley, Karl Urban, e o menino Oakes Fegley, “Meu Amigo, o Dragão” está longe de ser somente um filme infantil.



Sua abordagem vai muito além, mostrando que coragem e determinação independem de idade e tamanho. E que sim, perseguir seus sonhos é possível, tal qual perseguir seus dragões, sejam eles reais ou imaginários.

Um filme para emocionar gerações!

O argumento

Durante anos, o velho Sr. Meacham (Robert Redford) tem encantado crianças locais com suas histórias sobre o temível dragão que mora no meio da floresta.

Para sua filha Grace (Bryce Dallas Howard), que é guarda florestal e conhece a floresta como ninguém, essas histórias não passam de fantasia até que ela conhece Pete (Oakes Fegley).
Pete é um misterioso garoto de aproximadamente 10 anos, perdido nas matas, sem família, casa, ou identidade.


Ele diz viver na floresta com seu amigo Elliot.

No entanto, baseado nas descrições do menino, Elliot parece ser extremamente semelhante ao dragão das histórias de seu pai.

Com a ajuda de Natalie (Oona Laurence), menina de 11 anos que faz amizade com Pete, e cujo pai Jack (Wes Bentley) é dono da madeireira local, Grace parte em busca do paradeiro de Elliot, e sua real identidade.  Isso, se o ambicioso Gavin (Karl Urban), não se meter em seu caminho.


* Heloisa Viana é jornalista e cineasta. Trabalhou para produtoras de cinema e já colaborou com o site Adoro Cinema. Aos 4 anos de idade, era membro e entusiasta do Clube do Mickey, do qual tinha crachá e chapéu com orelhas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário